Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Menu

Prefeitura busca soluções para o transporte público e coibir avanço de clandestinos

Para ele, é pior quando as empresas desistem e quando o transporte clandestino toma conta.
14/09/2021 16h59
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade (Arquivo)
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade (Arquivo)

Rachel Pinto

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins da Silva participou nesta terça-feira (14) do programa Acorda Cidade e durante a entrevista falou sobre várias questões da cidade, entre elas o transporte público. Ele comentou sobre a visita do Secretário Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Saulo Figueiredo a cidade de Vitória da Conquista para conversar sobre a redução da tarifa de ônibus e disse que vai dialogar com as empresas que atuam em Feira de Santana, para buscar solucionar os problemas do transporte público e coibir o avanço do transporte clandestino.

Questionado sobre a volta das atividades nos diversos setores e a necessidade de ampliar a frota de ônibus, Colbert concordou que é preciso aumentar sim a quantidade de veículos circulantes, porém as empresas relatam problemas com relação as questões de valor e equilíbrio econômico e um dos objetivos da prefeitura é buscar resolver estas demandas.

“Vitória da Conquista está gastando 2,5 milhões por mês para manter o transporte funcionando lá. Salvador está gastando 10 milhões e queremos ver como é que a gente pode fazer isso da forma que seja mais adequada para manter o transporte público funcionando. Porque, na hora que não funciona, o clandestino toma conta. Vamos fazer o máximo para a manutenção do funcionamento do transporte público na nossa cidade. Toda vez que pedimos para colocar ônibus, as empresas dizem que não podem. Vamos colocar tudo na mesa para ver como vai se resolver”, afirmou.

O prefeito frisou ainda que está conduzindo este debate com muito cuidado porque sabe que é pior quando as empresas desistem e quando o transporte clandestino toma conta. Segundo ele, a prefeitura está investindo todos os meses quase R$ 900 mil para tentar o equilíbrio de custos com as empresas e uma alternativa pode ser a redução do ICMS do diesel para o município e, este pedido ele irá fazer ao governador Rui Costa.

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia