Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Menu

Delegado diz que números de homicídios em abril chamaram a atenção da polícia

No mês de abril também houve um aumento do número de inquéritos remetidos à justiça.
04/05/2021 15h03
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade | Delegado Rodolfo Faro
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade | Delegado Rodolfo Faro

Laiane Cruz

A Polícia Civil registrou 46 homicídios no mês de abril em Feira de Santana, 11 a mais que o registrado no mesmo período do ano passado no município. De acordo com o delegado Rodolfo Faro, titular da Delegacia de Homicídios (DH) de Feira de Santana, os números chamaram a atenção, sobretudo pela quantidade de homicídios múltiplos.

Leia também: Abril teve 46 homicídios em Feira de Santana, um dos mais violentos dos últimos anos

“Esse mês nos chamou a atenção pelos homicídios múltiplos. Tivemos vários duplos homicídios, um triplo homicídio, e esses fatos acabaram exagerando os números, extrapolando o patamar que tivemos no ano passado. Infelizmente, as ações, via de regra, praticadas por indivíduos envolvidos com o tráfico e a disputa por determinadas áreas da cidade fizeram com que esses crimes acabassem pondo em um risco muito grande a nossa situação com relação às investigações”, informou o delegado.

Segundo Rodolfo Faro, no mês de abril também houve um aumento do número de inquéritos remetidos à justiça, foram mais de 50, e o cumprimento de catorze mandados de prisão, como resultado das investigações em curso.

“Esse mês foi muito violento, mas a polícia vai trabalhar no sentido de dar uma autoria para esses delitos e dar à sociedade uma resposta adequada. O trabalho de investigação é diuturno. A Delegacia de Homicídios, mesmo quando não se encontra em serviço, pois nos horários noturnos e nos finais de semana os policiais trabalham nos plantões regionais, os levantamentos realizados por eles são diretamente ligados à DH, que dão as providências essenciais à elucidação desses fatos. A gente acaba tendo um número maior de diligências, mas em contrapartida sobrecarrega as equipes, porque ainda existem investigações, inclusive, de anos anteriores. Mas a polícia tem que trabalhar com o que tem. A equipe tem se esforçado todos os dias pra que chegue a uma elucidação maior desses crimes”, explicou.

O delegado acredita ainda que com o desenvolvimento das investigações, as representações, decretações de prisões preventivas e o cumprimento delas (foram 14 em abril), os números de homicídios em Feira de Santana possam diminuir.

“Todos esses crimes estão diretamente relacionados ao tráfico, então a polícia tem que fazer o seu papel preventivo. É um trabalho comum de todas as entidades, que tem se esforçado no sentido de dar o melhor resultado, mas alguns bairros encontram-se conflagrados pela disputa do comando do tráfico, e em razão desse tipo de crime acabam gerando as vinganças, as retaliações e aumentando também o número de homicídios”, destacou.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade
 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia