Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Menu

Moradores do bairro Papagaio reclamam de buracos e ruas alagadas

Eles se reuniram na manhã desta sexta-feira (31), e mostraram a situação para a reportagem do programa Acorda Cidade.
31/07/2020 09h46
Foto: Paulo José/Acorda Cidade
Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Moradores do bairro Papagaio reclamam de buracos e ruas alagadas

Rachel Pinto

Os moradores da Rua Oriente, na localidade conhecida como Adelba, no bairro Papagaio em Feira de Santana, reclamam dos buracos e alagamentos e relatam que está difícil transitar pela rua.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Eles se reuniram na manhã desta sexta-feira (31) e mostraram a situação para a reportagem do programa Acorda Cidade. De acordo com com os moradores, os três acessos principais para o bairro estão em péssimas condições. Os ônibus não conseguem adentrar nas ruas, e fica difícil também para carros de aplicativos e mototáxis e serviços de emergência.

Moradora da Rua Oriente há sete anos, Vânia Lobo, afirmou que até a avenida principal está alagando. Ela frisou que a via não tem esgotamento e quando chove a situação se agrava. "Fica tomada pela lama, pela água e os moradores não têm por onde passar. Estamos pedindo socorro”, disse.

Uma moradora, que se identificou como Núbia, relatou que quando precisam utilizar o transporte público, os moradores tem que ir até a pista, pois nem ônibus, nem outro transporte entra no bairro.

“As pessoas vão para a pista para pegar o carro para poder trabalhar. Aqui no bairro fala tudo. Escola, posto de saúde, estamos abandonados”, comentou.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Cícero Farias, que também é morador do bairro, afirmou ao Acorda Cidade que os vereadores só aparecem no bairro Papagaio em época de eleição. De acordo com ele, as reclamações são constantes e nenhuma atitude efetiva é tomada por parte do poder público.

“Pedimos providências as autoridades para que nos ajudem a resolver essa situação”, declarou.

Proprietária da única escola particular que existe no bairro Papagaio, a professora Josy Martins, informou que algumas ruas foram contempladas no pacote de obras da prefeitura, mas até o momento não houve pavimentação.

“Não temos asfalto e nem rede de esgoto. Quando chove, as crianças atravessam o “rio” que se forma na rua para chegar até a escola”, lamentou.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade.
 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia