Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Menu

Colbert diz que Mater Dei terá condições para atender a pacientes com coronavírus a partir do dia 20

Colbert afirmou que o Mater Dei tem em torno de 50 leitos, alguns ventiladores mecânicos e que está sendo regularizada algumas questões.
09/04/2020 15h16
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade (Arquivo)
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade (Arquivo)

Daniela Cardoso 

O prefeito Colbert Martins da Silva Filho informou ao Acorda Cidade nesta quinta-feira (9) que até o próximo dia 20 o Hospital Mater Dei estará em condições operacionais para atender a pacientes com coronavírus que necessitem de internação em Feira de Santana. Segundo ele, a carga de energia precisa ser reativada e essa etapa vai ser feita nesta sexta-feira (10).

Leia também:Hospital de campanha em Feira de Santana será instalado quando houver demanda, explica prefeito

Colbert afirmou que o Mater Dei tem em torno de 50 leitos, alguns ventiladores mecânicos e que está sendo regularizada algumas questões como a parte elétrica, banheiros, a lavandeira que é antiga, mas pode suprir a necessidade do momento. Também está sendo avaliada a parte da alimentação.

“Algumas questões precisam ser vistas, por exemplo, não tem oxigênio embutido, vai ter que ser feito, ou então funciona com torpedo que é algo mais antigo que temos que adaptar. Os recursos devem sair lá para o dia 20, ainda não tem nada de dinheiro aqui e as informações que recebi ontem das pessoas que estavam lá na Mater dei é que até o dia 20, o hospital deverá está em condições operacionais de funcionamento”, disse.

Com relação a uma possível contratação da Casa de Saúde Santana, o prefeito disse que a unidade só tem oito leitos com oxigênio e um centro cirúrgico que não está ativado. Segundo ele, o município está verificando essa possibilidade.

“Ontem teve uma portaria do Ministério da Saúde que enquadra serviços como a Casa de Saúde, a diferença é que lá na Mater Dei nós estamos contratando o serviço todo, o pessoal que vem aí, vai trazer médicos, enfermeiros, auxiliares, pessoal de copa, cozinha e nós pagamos o valor completo. No caso da Casa de Saúde, são apenas os leitos, nós vamos poder ver a forma, porque não podemos contratar, pois a contratação emergencial é complexa, estamos vendo uma situação semelhante para ver o que é preciso ser feito.”

Problemas de caixa

O prefeito afirmou que ainda não está enfrentando problemas de caixa, mas reconheceu que existe essa tendência, já que a perspectiva é de queda na arrecadação.

“Em consequência dessa circunstância, vamos ter limites de caixa maiores do que temos atualmente, e nesse momento inicial, queremos garantir o pagamento dos funcionários da prefeitura, especialmente os funcionários de saúde. Compramos agora testes, foi cerca de 1 milhão e meio de reais em testes, o que não estava previsto no orçamento”, disse.

Testes rápidos

Esses testes anunciados pelo prefeito, devem chegar em Feira de Santana em 10 dias. Segundo ele, não existe disponibilidade para entrega imediata. Colbert disse ainda que existem limites orçamentais e que o Governo Federal não abriu linha de crédito para a saúde.

“Estou em busca desses recursos, ontem, inclusive, falei com o deputado João Roma a respeito de uma circunstância de um contrato que eu não consegui fazer com o Ministro Mandetta, diretamente, pra poder ver se esses recursos podem ser aumentados. Não é só Feira de Santana, na realidade, são praticamente todos os municípios dos estados brasileiros. Temos que ter prioridade porque fomos o primeiro município a ser afetado na Bahia. Tudo isso, estamos tratando de uma forma mais coerente”, disse.

Prefeito tranquiliza população

Apesar do aumento de casos nos últimos dias, o prefeito Colbert Martins pediu que a população fique tranquila e continue adotando os métodos preventivos, como evitar sair de casa. Segundo ele, todas as unidades de saúde estão funcionando e todas têm condições de triar pessoas com suspeita da doença.

“Todos os procedimentos necessários vão ser feitos. A identificação é com a vigilância epidemiológica para que esse caso possa ser efetivamente encaminhado, como aconteceu até agora com todos os casos. Em vez de um centro só, nós temos 117, inclusive na zona rural, para atender as pessoas. O encaminhamento é de onde a pessoa está pra que nós possamos dar o melhor atendimento possível”, destacou.
 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia