Menu

Flávio Bolsonaro choca redes com corpo de miliciano sendo autopsiado ao questionar perícia baiana

Na mesma postagem, Flávio Bolsonaro questiona a credibilidade do resultado da perícia técnica da polícia baiana.
18/02/2020 15h25
Foto: Agência Brasil / Arquivo
Foto: Agência Brasil / Arquivo

Utilizando as redes sociais para causar ainda mais uma polêmica, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido) compartilhou na tarde desta terça-feira (18), em sua conta no Twitter, um vídeo com o corpo do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega sendo autopsiado. Na mesma postagem, Flávio Bolsonaro questiona a credibilidade do resultado da perícia técnica da polícia baiana que, segundo ele, não soube informar se o miliciano, cuja ex-mulher e a mãe foram empregadas em seu gabinete, foi torturado antes de morrer. “Perícia da Bahia (governo PT), diz não ser possível afirmar se Adriano foi torturado. Foram 7 costelas quebradas, coronhada na cabeça, queimadura com ferro quente no peito, dois tiros à queima-roupa (um na garganta de baixo p/cima e outro no tórax, que perfurou coração e pulmões”, afirma o senador na rede social. Na prática, ele repete o discurso do pai, o presidente da República, Jair Bolsonaro, que defendeu uma perícia independente para apurar as circunstâncias da morte do miliciano no interior da Bahia, onde ele chegou a escapar de um primeiro cerco, em Sauípe. Na tarde desta terça-feira o Ministério Público da Bahia solicitou à Justiça do município de Esplanada, local onde o ex-policial militar foi morto, a realização de um novo exame de necropsia, alegando a necessidade de dirimir dúvidas sobre a forma da morte do miliciano. As informações são do Política Livre. 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia