Menu

Fiscalização em postos de combustíveis com presença de polícia gera reação em Feira de Santana

Empresários do ramo procuraram o Acorda Cidade para reclamar da presença da polícia.
13/08/2019 16h51
Foto: Ney Silva
Foto: Ney Silva

Orisa Gomes

A operação da Coordenadoria Estadual de Defesa do Consumidor (Procon-Ba) em postos de combustíveis de Feira de Santana gerou reações. Iniciada na segunda-feira (12), a fiscalização teve continuidade nesta terça-feira (13) e empresários do ramo procuraram o Acorda Cidade para reclamar da presença da polícia.

Segundo o ex-deputado federal Fernando Torres, dono de postos na cidade, a fiscalização é importante para garantir a qualidade do produto e valores justos, mas ele considera a presença de policiais desnecessária e prejudicial à imagem do estabelecimento. “O que aconteceu ontem no posto Piraí é um absurdo. Vários policiais com armas na pista do posto, parecendo que tinha um bandido lá”, reagiu Torres.

“Sindicato fraco”

Ele ressaltou ainda que o fiscal do Procon tem poder de polícia e pode lacrar uma bomba ou mesmo acionar a polícia, se for preciso, mas alega que fiscalizar já com os policiais causa constrangimento aos consumidores. “Tem clientes que ficam constrangidos e isso é um absurdo. Fiquei indignado. Graças a Deus não encontraram nada e não vão encontrar, mas isso aí é fruto também do sindicato de combustível que temos (Sindicombustíveis Bahia), que é muito fraco. O sindicato nosso defende as grandes distribuidoras”, desabafou.

Também dono de posto, Raimundo Catarino reforçou a importância da fiscalização, especialmente para combater adulterações em combustíveis e equipamentos, mas reclamou da forma como a intervenção foi feita. “A fiscalização está chegando nos postos, interditando por total até que eles terminem a operação. Ao meu ver, isso não causa uma imagem boa para o público, uma vez que a pessoa passa para abastecer e o posto está interditado, com polícia pelo meio. Dá a entender que o posto está sofrendo alguma punição”, avaliou sugerindo que interdite uma “ilha” e deixe as outras funcionando.

Procon de Feira age diferente

Com o assunto em evidência no programa Acorda Cidade, o prefeito Colbert Martins também entrou na questão para criticar e comparar a ação com as do Procon de Feira de Santana. “O Procon do governo do estado fez uma ação em Feira de Santana com apoio da polícia sem nenhum tipo de comunicação com o Procon municipal. Foi uma ação diferente das que fazemos nos postos, sem aparato policial. A ação é feita para identificar a situação e, quando é o caso, comunicar a PM”, frisou.  

Leia também: 

Procon estadual coordena operação em postos de combustíveis de Feira de Santana

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia