Menu

Shopping Popular abre comercialização de lojas para empresários de Feira e deve gerar mais 6 mil empregos

Cidade da Compras fará lançamento para lojas âncoras nesta quinta-feira (13). Interessados devem comparecer ao shopping.
10/06/2019 21h43
Foto: Reprodução/Portfólio
Foto: Reprodução/Portfólio

Andrea Trindade

Além dos espaços destinados pela Prefeitura de Feira de Santana aos vendedores ambulantes, o Shopping Popular terá outros espaços para comercialização, e as chamadas lojas âncoras.

Segundo o presidente do grupo Uai, Elias Tergilene, responsável pelo empreendimento, na próxima quinta-feira (13), às 14h, haverá um Feirão de Lançamento voltado para comerciantes de Feira de Santana para adquirirem espaços no Cidade das Compras, como foi batizado o Shopping Popular. O Feirão de Lançamento será realizado no próprio shopping, em frente ao Terminal Central, com plantão de vendas até às 20h.

“Ele foi feito para 1.800 camelôs da cidade e agora nós abrimos 5 mil metros quadrados destinados aos comerciantes da cidade que não são camelôs, com o objetivo de levar banco, farmácia, área de alimentação e qualquer outro produto ou serviço que complemente o mix do shopping popular. Nós vamos estar com vários atendentes recebendo esses comerciantes, vamos ter um café da tarde para todos e convidamos a todos os comerciantes que desejam ver a obra, que desejam ter informação. É uma construção que foi destinada a mudar o comércio popular de Feira de Santana e que está quase pronta, então nós temos que pensar no lista que estará lá dentro, pois o camelô está garantido”, informou Tergilene ao Acorda Cidade.

O shopping Cidade das Compras será o maior centro comercial popular de toda a Bahia, com mais de 1.800 box e 600 vagas para instalação de lojas, bancos praça de alimentação. Sua localização estratégica (ao lado do Centro de Abastecimento e em frente ao Terminal de Transbordo Central) permitirá um grande fluxo de consumidores, além de colaborar com a qualificação do centro comercial da cidade. Sua estrutura de mais de 60 mil metros quadrados ainda compreende estacionamento com 600 vagas.

Foto: Reprodução/Portfólio

“Vamos estar com um café da tarde no dia 13, chamando a população para conhecer o shopping popular. Conhecer a estrutura, o funcionamento e ali nós vamos ter umas 15 pessoas já pegando nomes, telefone, área de atuação, explicando como vai funcionar. Então a melhor forma da pessoa demonstrar interesse, é indo lá dia 13, toma um café e vamos conversar, porque na verdade, esse empreendimento tem que ser pensado por várias cabeças. Quando me falam: “Elias, perdemos 6 meses? Não, nós ganhamos 6 meses porque o empreendimento também foi modificado. Foi alterado para melhor atender a necessidade da cidade”, continuou.

Ele informou ao Acorda Cidade que já tem 300 lojas cadastradas durante um trabalho anterior com pesquisas de mercado.

“Quando nossos atendentes saíram na cidade perguntando quem queria ir ao Shopping Popular e vários comerciantes da cidade se cadastraram. Cumprindo tudo aquilo que foi dito no passado, o Shopping Popular é da cidade de Feira de Santana para o comerciante de Feira de Santana. Os camelôs já estão garantidos e o comerciante local, se quiser ir para lá, vai ser muito bem recebido. Já prospectamos âncoras. Bancos, Caixa Econômica, Banco do Brasil, Bradesco e Itaú. Prospectamos empresas de beleza, barbearia, várias lojas de alimentação, lojas de ferragens, são 300 interessados até o momento em participar do Shopping Popular que a gente carinhosamente está batizando de “Cidade das Compras”. Ficou muito grande, é o maior empreendimento do país hoje que vai entrar em funcionamento. Ele só perde para São Paulo, a tradicional Feira da Madrugada, que é nossa também. São 5 mil comerciantes em São Paulo, em Feira de Santana, nós pretendemos chegar em um total de 3 mil.

Foto: Reprodução/Portfólio

Camelôs cadastrados e obras praticamente prontas

Vale recordar que os ambulantes, segundo a prefeitura, foram todos cadastrados e já estão com seus locais demarcados. Segundo Tergilene, a estrutura do shopping está praticamente pronta. “Estamos na fase final de terminar a instalação de incêndio, elétrica, hidráulica e um restante de piso e área de estacionamento. Então nesse momento, precisamos saber as alterações lá dentro porque cada negócio requer energia elétrica requer água, esgoto, então já temos que ter essas lojas, sabendo o local para que o pessoal providencie uma infraestrutura para a instalação dessas lojas que não são camelôs”, disse.

O Acorda Cidade o questionou se o cronograma das obras, estão dentro do programado pela empresa e o empresário informou que já era para ter inaugurado, e que o novo prazo para a entrega é julho, mas que a inauguração depende da instalação e decorações das lojas, que serão feitas por cada lojista. Ele espera que até o Natal já esteva tudo funcionando.

“Ele já poderia ter sido inaugurado no final do ano passado e nós perdemos seis meses de prazo de inauguração. Uma obra desse tamanho e ainda nós tivemos no início dela problemas políticos, do setor de artesanato, de liberação do espaço que precisava ser liberado. Mas foi importante esse prazo porque possibilitou que o empreendimento fosse ajustado melhor à condição dele de trabalho. O ritmo que devemos dar agora é o tempo que o comerciante vai precisar para se instalar. Exemplo, vamos entregar o shopping pronto, mas cada loja tem que ser construída, mobilhada, tem que ter estoque para funcionar. De agora pra frente, o cronograma passa a ser o cronograma do próprio lojista que vai se instalar. Temos a data de julho para entregar. Estamos trabalhando com mais 45 dias para finalizar toda obra. O segundo semestre é a melhor época do ano para se comercializar. O importante é que estejamos prontos um ou dois meses antes da entrega para que os comerciantes possam atender o público já neste Natal”, enfatizou em entrevista ao Acorda Cidade destacando também a importância do empreendimento para a geração de renda e recolhimento de impostos que beneficiarão a cidade.

Empregos

Tergilene informou também que a perspectiva é gerar cerca de 6 mil empregos diretos em diversos setores.

“Daqui à pouco vamos soltar o cadastro de mão de obra que vai precisar para operar o Shopping Popular, desde a área administrativa, financeira, contábeis, jurídica, até a área operacional, manutenção, limpeza e segurança. É um empreendimento com perspectiva de geração de 6 mil empregos direto”, destacou.

As informações sobre o processo de seleção de funcionários ainda não foram divulgadas.

Fotos: Arquivo/Paulo José/Acorda Cidade 

Centro de Abastecimento

O prefeito Colbert Martins Filho, em contato com o Acorda Cidade referente à situação do Centro de Abastecimento, informou que a prefeitura não tem recursos para revitalização e que existe a possibilidade de realizar uma Parceria Público Privada (PPP) para viabilizar as melhorias que o Centro de Abastecimento precisa.

Questionado pelo Acorda Cidade se teria interesse em assumir o entreposto comercial do Norte-Nordeste, Tergilene disse que sim.

“Eu estou tão feliz com Feira de Santana, que eu tenho interesse. Nós temos trabalhado para contribuir com a revitalização do Centro de Abastecimento, fizemos uma parte, e se for decisão da prefeitura fazer uma PPP, a nossa empresa faz PPP no Brasil inteiro. Aqui em São Paulo fizemos Feira da Madrugada, fizemos Manaus, Feira de Santana, estamos em Brasília, Belo Horizonte, e Salvador também sinalizou que gostaria de fazer uma PPP como foi feito em Feira de Santana. Essa PPP de Feira, praticamente é um cartão postal para o Norte-Nordeste do país. Foi uma PPP feita dentro das leis brasileiras, todos acompanharam, vários questionamentos, não tiveram problema nenhum. Questão de transparência, tudo foi feito de acordo coma lei e o que eu puder contribuir para melhorar cidade de Feira de Santana como qualquer PPP será um prazer”, declarou. 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia