Acorda Cidade - Versão Mobile

Turistas fogem da folia e lotam a rede hoteleira na Chapada

O ecoturismo é o grande foco de Lençóis, ponto de partida para muitos passeios - Morro do Pai Inácio, grutas Pratinha e Lapa Doce, poços Azul e Encantado e cachoeiras como Ribeirão do Meio, dentre outros.
13/02/2018 09h18
Foto: João Ramos

Acorda Cidade

Fazer trilhas, tomar banho de cachoeira e conhecer a fauna, flora e a história da Chapada Diamantina. As atividades estão na lista dos turistas que fugiram da folia momesca para passar o feriadão de Carnaval em uma das zonas turísticas mais agradáveis da Bahia. Hotéis da região registram bom desempenho neste período.

Foto: João Ramos

O ecoturismo é o grande foco de Lençóis, ponto de partida para muitos passeios - Morro do Pai Inácio, grutas Pratinha e Lapa Doce, poços Azul e Encantado e cachoeiras como Ribeirão do Meio, dentre outros. A cidade atrai turistas de todo o mundo e preserva um casario de estilo colonial datado do século XIX que remonta ao tempo em que era conhecida como Capital do Diamante.

Tais atrativos serviram de chamariz para turistas que preenchem 95% dos leitos de hotéis e pousadas de Lençóis, segundo o presidente do Conselho Municipal de Turismo, Dioclides Araújo: “Recebemos principalmente pessoas que querem fugir do Carnaval”.

A demanda encheu por completo hotéis como o Portal de Lençóis, que recebe entre os hóspedes o soteropolitano José Carlos Fontes em viagem com a família: “Moro no circuito Barra-Ondina e hoje fujo do Carnaval. Esse lugar é um paraíso. Tem passeios para todos os gostos e bons restaurantes. Já fui ao Ribeirão do Meio e ao Mucugezinho”.

Alta taxa de ocupação dos meios de hospedagem também foi conseguida em Mucugê, onde a maioria dos hotéis e pousadas alcançou o patamar de 100%. Um deles é o Hotel Alpina. “Temos hóspedes baianos, mas cerca de 25% das reservas é de visitantes de outros estados, como Pernambuco, Piauí e Sergipe”, registra a proprietária Ângela Pina.

Boa pedida para os visitantes é conhecer o Museu Vivo do Garimpo, que lembra a história da exploração de ouro e pedras preciosas e o projeto Sempre Viva - focado na educação ambiental e ponto de partida para trilhas leves, com guiamento para as cachoeiras da Piabinha e do Tiburtino. Também vale esticar o passeio para visitar Igatu, distrito de Andaraí, município vizinho. Conhecida como a Machu Picchu baiana, a vila é o destino perfeito para quem gosta de história e praticantes de escalada.

Em Palmeiras, a festa é pequena e restrita à sede do município. Mas o destaque é o Vale do Capão, indicado para quem deseja descansar e/ou se aventurar em contato com a natureza. Entre os visitantes que buscam, principalmente, fugir da folia, estão baianos de Salvador e paulistas, cariocas, mineiros e sergipanos.

A administração municipal estima em 40 mil o fluxo turístico neste Carnaval. Hotéis e pousadas têm ocupação de 100%, e a oferta de vagas foi ampliada com o aluguel de casas. Entre os principais atrativos de Palmeiras está a Cachoeira da Fumaça, queda d’água com 360 metros.

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.