Acorda Cidade - Versão Mobile

Samu faz simulação de desastre e atendimento à vítimas de tiros na Expofeira

Participaram do simulado do Samu cerca de 200 figurantes, 40 vítimas e mais de 400 profissionais de todas as instituições.
07/09/2017 14h51
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Rachel Pinto

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Feira de Santana realizou no Parque de Exposições João Martins na Silva, na quarta-feira (6), uma simulação de desastre em uma festa com centenas de pessoas feridas com disparos de arma de fogo.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

O treinamento ocorreu durante a 42ª Exposição Agropecuária (Expofeira) e chamou a atenção de centenas de pessoas que estavam presentes. Participaram do treinamento membros da área de saúde, educação e servidores do Departamento de Polícia Técnica (DPT), Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar, Polícia Civil, Superintendência Municipal de Trânsito, Exército, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Agricultura e Via Bahia.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Maíza Macedo, coordenadora do Samu explicou que o objetivo do simulado é orientar como as equipes dos diversos setores devem se organizar em uma perspectiva de um desastre com várias vítimas. Segundo ela, tanto os profissionais, como a comunidade em geral a qualquer momento podem estar expostos a situações de desastre e o treinamento ensina o que fazer para tentar se salvar, pedir socorro, além de ajudar outras pessoas que estão em volta.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“O simulado é para integrar e articular as equipes em caso de desastres. Situações de desastres envolvendo multidão, tendem a aumentar o desespero, o pânico e a ansiedade. Consequentemente outras pessoas podem der feridas e fica mais complicado. A simulação é para que as instituições de segurança e saúde se articulem, possam dar uma resposta e se tenha o menor número possível de vítimas graves”, afirmou.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Para Maíza Macedo, o treinamento é muito importante porque caso aconteça um desastre os danos tanto pra o meio ambiente, como para a população e também as vítimas que estão no local sejam menores. O treinamento trabalha com dois tipos de ferramentas para o atendimento às vítimas. Os métodos são utilizados mundialmente. São eles: Sistema de Comando de Incidente (SCI) e o Método Start.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“O SCI engloba todas as estruturas que estão envolvidas em um desastre. Já o Start trabalha a partir da gravidade das vítimas, triagem, tratamento no local de atendimento e o transporte com segurança. Esse é o mais utilizado e mais aceito mundialmente pois tem uma melhor resposta para acidentes com múltiplas vítimas como desastres e catástrofes", completou.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade
 

Participaram do simulado do Samu cerca de 200 figurantes, 40 vítimas e mais de 400 profissionais de todas as instituições.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.
 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.