Acorda Cidade - Versão Mobile

Dia dos Pais: histórias de pais e filhos que seguem a mesma profissão e juntos dividem aprendizados e experiências

Um feliz Dia dos Pais aos personagens dessa reportagem e também para todos os papais!
13/08/2017 07h20
Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

Rachel Pinto

Companheirismo, amizade, cumplicidade e admiração são sentimentos comuns entre pais e filhos. Muitas vezes esses sentimentos influenciam não só a vida pessoal, como também profissional da prole. Nessa relação, em homenagem ao Dia dos Pais, o Acorda Cidade conta histórias de pais que inspiram a carreira dos filhos e junto com eles compartilham experiências e aprendizados. Um feliz Dia dos Pais aos personagens dessa reportagem e também para todos os papais!

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

O educador físico Antônio Lucena Rocha e o fisioterapeuta Gil Carlos Lucena trabalham juntos em uma academia de natação em Feira de Santana. Seu Antônio, nunca impôs nada para o filho Gil, nem imaginou que ele um dia seria professor de natação.

Apesar do incentivo às práticas esportivas existir desde a infância, ele acreditava que Gil fosse trabalhar em clínicas e hospitais e a natação fosse apenas um hobby em sua vida. No entanto, o filho que sempre se inspirou no exemplo do pai, resolveu ir além e estender a parceria com o pai para o campo profissional.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

“Quando criança ele começou comigo nas aulas de natação e eu acho que saber nadar é o primeiro seguro de vida que a gente pode dar para uma criança. Desde então foi criando gosto pela natação e atividade física de modo geral. Levei a várias competições e campeonatos na área de natação. Vivenciando a academia ele passou a desempenhar outras funções, trabalha com grande sabedoria e me alivia muito a carga de trabalho nos dias de hoje. Antes não passava pela cabeça que ele fosse trabalhar comigo porque se formou em fisioterapia e eu imaginei que fosse trabalhar em alguma clínica ou hospital. Mas, como ele vivenciou muito a parte esportiva, veio trabalhar comigo e hoje é o principal administrador da academia” afirma Seu Antônio.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

Gil conta que a parceria profissional com pai estreitou ainda mais os laços de confiança e amor e um completa o outro. Além disso, trabalhar com quem se admira é um incentivo a mais e uma grande alegria.
“Tenho amor e admiração pelo exemplo profissional, pelo ser humano e a dedicação profissional que ele tem. Isso é contagiante e é um exemplo a ser seguido. É um legado que tenho a missão de colocar pra frente”, completa.

O médio Luciano Vital também é um pai que inspira e orgulha os filhos Luciano Vital Filho e Luciana Vital. Ele relata que tem o prazer de ter na vida juntos dois amores reunidos. O amor pela urologia e o amor por seus filhos.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

"Eu amo os meus filhos e tenho grande amor pela profissão. Isso é uma satisfação muito grande e juntar dois amores assim é uma coisa espetacular”, salienta.

Pai e filhos são médicos renomados na cidade e o trabalho entre eles é de forma compartilhada e de muita troca de conhecimentos. O pai conta ainda que o fato curioso da família de médicos com o mesmo nome é que de vez em quando os pacientes se atrapalham, confundem pai e filho e isso gera boas risadas.

“Acontece às vezes essa confusão dos nomes. Mas, eu gosto. Tem por exemplo, paciente que eu atendi há muitos anos e eu parecia muito com meu filho. Aí o paciente diz ‘o senhor está mais moço’. Eu acho engraçado. Meu pai também era médico e nunca me impôs a profissão. Foi uma escolha natural e eu nunca quis ser outra coisa na vida a não ser médico. Com meus filhos também eu nunca influenciei, foram eles que decidiram”, diz.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

A médica Luciana Vital afirma que sempre foi apaixonada pela urologia e os papos da família além das questões pessoais, abordam também sobre pacientes e estudos. “Somos uma família participativa e conversamos muito sobre tudo. Também sobre a medicina e pacientes. É um prazer e um orgulho trabalhar com meu pai e com meu irmão. Além de excelentes pais, são grandes profissionais”, salienta.

Para Luciano Vital Filho, o pai o é o melhor parceiro que ele poderia ter. Cheio de alegria ele ressalta que é uma felicidade ter o pai como amigo e como colega.

“Eu adoro ter a opção de trabalhar com ele em plena atividade. Operamos, discutimos pacientes juntos. Se eu me ausento, os pacientes se reportam a ele e tenho orgulho enorme de tê-lo como pai e como médico respeitado que ele é”, finaliza.

Entre os legados que deixa para os filhos, Luciano Vital faz questão de dizer que assim como o papel de pai é cuidar dos filhos, a medicina também cuida de pessoas que têm sentimentos e histórias. Segundo ele, a medicina não pode ser fria e a relação é principlamente de cuidado e afeto.

Com informações do repórter Ney Silva do Acorda Cidade.
 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.