Acorda Cidade - Versão Mobile

Wagner diz que distritão pode ser 'enorme retrocesso' para o país

'Significa a destruição dos partidos, que apesar de fragilizados continuam sendo peça fundamental de uma democracia', afirmou.
11/08/2017 12h16
Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba

O ex-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner (PT), se manifestou, nesta sexta-feira (11), contrário à proposta aprovada pela comissão especial da Reforma Política na Câmara dos Deputados, que institui o chamado “distritão”. Segundo o bahia.ba, para o petista, a matéria pode significar um “enorme retrocesso” para o “o já frágil sistema representativo do nosso país”. “Significa a destruição dos partidos, que apesar de fragilizados continuam sendo peça fundamental de uma democracia. O distritão também está na contramão do sentimento da sociedade, que espera mais proximidade entre eleitores e eleitos, e não o contrário”, afirmou Wagner, em sua conta oficial no Twitter. Além do distritão, o colegiado aprovou o fundo público de financiamento das campanhas, de R$ 3,6 bilhões. Para entrar em vigor nas próximas eleições, a reforma tem que passar até setembro por votações nos plenários da Câmara e do Senado.

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.