Acorda Cidade - Versão Mobile

Dívida com facção teria provocado duplo homicídio no Tomba, diz polícia

Bandidos invadiram residência e atiraram contra jovens no lugar de parente.
13/07/2017 10h30
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

Laiane Cruz

O duplo homicídio ocorrido na noite da última segunda-feira (10), no bairro Tomba, em Feira de Santana, pode ter sido motivado por vingança devido a um débito com uma facção criminosa. A informação é do delegado Gustavo Coutinho, da Delegacia de Homicídios, que investiga o caso.

Segundo ele, as vítimas Jonatha Macedo Santos, de 17 anos, e Jodilson de Oliveira Evangelista, 24 anos, foram assassinadas no lugar de outro parente identificado como Neto, e que havia deixado a residência onde o crime aconteceu cerca de 20 minutos antes da chegada dos bandidos.

“Os quatro bandidos que entraram na residência estavam atrás de Neto, que é irmão de Jonatha e residia no povoado de Belém, em Cachoeira. Por conta das ameaças de morte de facções, eles vieram corridos para Feira de Santana. Mas a facção descobriu onde estavam escondidos. Os matadores queriam matar Neto e, como não acharam, mataram os parentes”, informou o delegado.

Ainda conforme Gustavo Coutinho, a residência onde os jovens foram assassinados pertence a uma mulher chamada Djanira, que é sogra de Neto. O delegado afirma que ela chegou a se atirar na frente do filho Jodilson para que não fosse morto, mas ele já havia recebido três tiros e não resistiu.

O crime

O adolescente de 17 anos Jonatha Macedo Santos foi assassinado a tiros por volta das 20h50 de segunda-feira (10), no bairro Tomba, em Feira de Santana.

Segundo a polícia, a vítima foi atingida em várias partes do corpo no interior de uma residência localizada na Rua Potiguará. Também foi baleado Jodilson de Oliveira Evangelista, 24 anos, que ainda foi socorrido para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), mas não resistiu. Ele foi atingido na cabeça.

Segundo informações do posto policial do HGCA, quatro homens invadiram a residência em busca de um homem identificado pelo prenome Neto.

A delegada Dorean dos Reis Soares efetuou o levantamento cadavérico com peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.