Acorda Cidade - Versão Mobile

Para promotor alguns pontos da Micareta de Feira precisam ser revistos

Ela observou que alguns fatos precisam ser revistos e analisados para que não sejam repetidos em anos seguintes como a ocorrência do apagão elétrico e o aumento do consumo excessivo de bebida alcoólica principalmente por adolescentes.
22/05/2017 17h38
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Rachel Pinto

O Ministério Público Estadual esteve nos quatro dias da Micareta de Feira de Santana. A reportagem do Acorda Cidade conversou com o promotor Audo Rodrigues e ele disse que apesar de alguns problemas que ocorreram no circuito, a avaliação geral da Micareta é positiva.

“É uma satisfação muito grande do Ministério Público ter iniciado esse projeto em Feira de Santana. Mais um projeto que foi condensando as ações que já tinham sido feitas em anos anteriores em áreas separadas. Aquilo que era feito na infância e juventude, separado na saúde, no controle externo da atividade policial esse ano passou a ser feito de uma forma única através de uma coordenação, unindo-se os esforços para que o trabalho fosse feito da melhor forma possível. A gente tem uma imensa satisfação de ver que o resultado foi o melhor possível”, afirmou.

O promotor observou que alguns fatos precisam ser revistos e analisados para que não sejam repetidos em anos seguintes. Ele salientou a ocorrência do apagão elétrico e o aumento do consumo excessivo de bebida alcoólica principalmente por adolescentes.

“Têm chegado nos postos de saúde muitos adolescentes em situações, inclusive como convulsão em alcoolismo exacerbado, sistema de coma alcoólico. Isso vai ser levado ao conhecimento da instituição de uma forma geral para que nós venhamos a desenvolver um trabalho mais efetivo nos anos seguintes. Fala-se de uma nova bebida que chegou ao mercado, mas que tem tido um resultado drástico para aqueles que estão consumindo. As pessoas não estão consumindo com moderação e isso tem feito um aumento considerável no número de atendimentos por alcoolismo no posto de saúde”, acrescentou.

Audo Rodrigues enfatizou a intensificação do trabalho do MP com os órgãos públicos envolvidos. Coordenando questões da saúde, da infância e juventude, direitos humanos, violência contra as mulheres e realização de fiscalizações preventivas integradas para evitar a ocorrência de problemas.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.