Acorda Cidade - Versão Mobile

1º dia oficial de Micareta tem redução de 33,3% em brigas de rua comparado ao ano passado

Os dados foram apresentados na primeira reunião dos representantes das instituições que fazem parte da organização da festa, no auditório do Instituto Gastão Guimarães.
19/05/2017 15h45
Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

Laiane Cruz

A Coordenação de Documentação Estatística Policial divulgou na manhã desta sexta-feira (19) o balanço das ocorrências policiais registradas na noite de quinta-feira (18), primeiro dia oficial da Micareta de Feira de Santana.

Segundo a estatística oficial houve diminuição de 33,3% em brigas de rua, em comparação com o ano passado. Foram registrados 12 furtos este ano, 62,5% a menos que em 2016, quando foram contabilizadas 24 ocorrências deste tipo. Já as lesões corporais foram cinco. No ano passado, não houve registro no primeiro dia da Micareta.

Foram apreendidos 101 buchas de maconha, 10 cigarros e 8 trouxas da mesma erva. Além de 25 porções de cocaína; dois frascos de lança perfume; cinco pedras de ecstasy e uma de crack. A polícia cumpriu também um mandado de prisão.

Os dados foram apresentados na primeira reunião dos representantes das instituições que fazem parte da organização da festa, no auditório do Instituto Gastão Guimarães. De acordo com o comandante do Comando de Policial Regional Leste (CPRL), coronel Adelmário Xavier, o primeiro dia não oficial da Micareta e o dia da abertura oficial foram de tranquilidade.

“Não tivemos nada que pudesse denegrir aquilo que a gente planejou. Pelo contrário, tivemos redução em quase todos os itens. Na cidade, como um todo, tivemos um fato lamentável de pessoas que tinham problemas alheios à Micareta e quando se encontraram na saída do circuito houve um confronto e uma pessoa caiu e teve morte cerebral. Fora isso, a cidade está tranquila e bem policiada”, afirmou o coronel.

Ainda segundo Adelmário Xavier, a Polícia Militar promoveu alguns ajustes, colocando policiamento onde poderia ter problemas.

A delegada Márcia Xavier, coordenadora do Cedep, informou que das cinco ocorrências de lesão corporal, quatro tiveram os procedimentos instaurados e apenas uma não teve procedimento. Ela afirmou que com relação ao tráfico de drogas, a maior concentração das ocorrências por esse crime ocorre no bairro Capuchinhos, nas proximidades do Colégio Santo Antônio, assim como um grande número de usuários naquela área.

O promotor Tiago Quadros afirmou que uma equipe do Ministério Público Estadual (MPE) tem circulado pelo evento e observado alguns aspectos que precisam de adequações.

“Tínhamos orientado a secretaria, por exemplo, sobre a fixação dos informes relacionados à bebida para menores de idade e, nos estabelecimentos que estavam sem isso, algumas correções foram feitas. Identificamos também, pontualmente, uma necessidade de adequação nos portais de segurança e isso foi dialogado e já tivemos a notícia que foi regularizado. É assim que estamos atuando: identificando situações e levando aos órgãos competentes”, enfatizou.

Com informações e fotos do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.