Acorda Cidade - Versão Mobile

BNDES perdeu R$ 711 milhões com a JBS, diz TCU

As informações embasaram a Operação Bullish, da Polícia Federal, deflagrada semana passada.
17/05/2017 10h37
Foto: Reprodução/Ilustrativa

Parecer técnico do Tribunal de Contas da União (TCU) estima que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve prejuízo de R$ 711 milhões com operações de compra de ações e debêntures (títulos de dívida) do grupo JBS. Segundo o jornal O Globo, que teve acesso ao material, os auditores afirmam que houve “cessão graciosa de dinheiro público” para a empresa. As informações embasaram a Operação Bullish, da Polícia Federal, deflagrada semana passada. De acordo com a reportagem, os técnicos do TCU concluíram que o BNDES deixou de cobrar recursos a que tinha direito, não fiscalizou a utilização do dinheiro pelo grupo nem considerou o alcance social das operações realizadas pela JBS. Entre os prejuízos apontados está a subscrição de cerca de R$ 1 bilhão em ações da unidade norte-americana da JBS para viabilizar a compra da National Beef. A JBS desistiu do negócio após autoridades norte-americanas antitruste indicarem que não aprovariam a transação. Em vez de pegar os recursos de volta, o BNDES assinou aditivos alterando o objetivo do aporte, permitindo o uso dos recursos posteriormente no processo de fusão com a Bertin. Pelo contrato original, o banco tinha o direito de vender as ações de volta aos controladores da JBS se o negócio nos Estados Unidos não fosse fechado. Segundo O Globo, em documento enviado ao TCU, o banco informou que não exerceu o direito de venda por ser também acionista da JBS e para não se prejudicar de forma indireta com a desvalorização das ações do grupo em 2009, no meio da crise econômica internacional. Leia mais no Congresso em Foco

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.