Acorda Cidade - Versão Mobile

Deputado promove audiência e aponta 'espécie de monopólio' no transporte público de Feira

De acordo com Ângelo Almeida, o debate teve por objetivo fazer um diagnóstico da atual situação do transporte público de Feira de Santana, comparando-a com outras épocas, e propor soluções.
17/02/2017 10h15

Laiane Cruz

O deputado estadual Ângelo Almeida promoveu na noite de ontem (16), no auditório do Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães, em Feira de Santana, uma audiência pública sobre o transporte público do município. Estiveram presentes no encontro membros de sociedade civil, representantes de entidades ligadas aos trabalhadores, pessoas ligadas ao transporte coletivo, representantes de classes patronais, como a CDL, a Associação Comercial, o Ministério Público, integrantes de partidos políticos e deputados.

De acordo com Ângelo Almeida, o debate teve por objetivo fazer um diagnóstico da atual situação do transporte público de Feira de Santana, comparando-a com outras épocas, e propor soluções.

“Nós trouxemos esse debate porque pensamos ser importante. O transporte público mexe com a vida das pessoas. Os usuários do transporte público são pessoas que não têm oportunidade ou recurso de se locomover com o bem próprio. Diante dessa importância, fora do debate político, ele pôde ser feito com tranquilidade para ser feito um diagnóstico”, destacou sobre a importância do evento.

O deputado lembrou o fato de que há seis anos havia seis empresas operando o serviço de transporte público na cidade, algo que foi reduzindo, e em 2010, segundo ele, caiu em uma espécie de monopólio.

“A partir daí o serviço foi ficando deficiente, e foi acontecendo uma fuga dos usuários do sistema, até porque houve indicadores que levaram a isso, como o aumento da distribuição de renda do trabalhador, que foi migrando para o transporte próprio com a aquisição de carro ou moto. Mas, para aqueles que não tiveram essa oportunidade, o transporte foi ficando ainda mais deficiente, o que nos remete a um momento de crise, com as duas empresas sinalizando que podem sair de Feira. E há uma possibilidade, inclusive, temos informações, de que uma pode adquirir a outra e termos o monopólio de uma empresa só, como já teve há pouco tempo entre Princesinha e 18 de Setembro”, ventilou o deputado Ângelo Almeida.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.


 

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.