Arquivo - Ney Silva/Acorda Cidade

Acusado de tentar matar duas meninas em Feira é encontrado morto no presídio

Andrea Trindade
 
O aposentando Estevão de Souza Barreto, 72 anos, foi encontrado morto na tarde desta sexta-feira (8), na cela 24, pavilhão 9, do Conjunto Penal de Feira de Santana. A delegada Dorean dos Reis Soares presidiu o levantamento cadavérico no local e investiga se houve um suicídio.
 
Estevão estava preso desde o dia 21 de agosto deste ano, acusado de tentar matar duas meninas de 11 e 12 anos. Ele também era suspeito de pedofilia.

 
O diretor adjunto do Conjunto Penal, Clériston Leite, informou que os agentes penitenciários acionaram a direção, que constatou o fato. “Segundo relatos de alguns presos, ele estava sozinho na cela, enquanto os detentos estavam no banho de sol”, disse. O diretor informou ainda que não havia queixas dos presos contra o aposentado.


Foto:Aldo Matos/Acorda Cidade
 
De acordo com a delegada, não foi encontrada nenhuma carta deixada por ele, e de acordo com um companheiro de cela, Estevão já vinha falando da vontade de tirar a própria vida. “Só depois do laudo da necropsia podemos confirmar 100% se foi um suicídio”, disse a delegada informando que a polícia vai ouvir os detentos e de acordo com os relatos traçar um perfil do aposentado.
 
Relembre o caso
 
 
Estevão de Souza Barreto, que residia no bairro Campo do Gado, foi flagrado na manhã do dia 21 de agosto, usando uma pistola calibre 6.35 e um martelo. Ele tentou matar duas meninas, uma de 11 e outra de 12 anos. O pai de uma das vítimas foi quem acionou a polícia. 
 

 
Após as tentativas de homicídio, Estevão entrou no veículo Gol, de placa JOW-3137 e tentou se matar. Dentro do carro havia um botijão de gás e material explosivo, além da arma e do martelo. 
 
 
No complexo policial, antes de ser interrogado, Estevão confirmou que pretendia matar a primeira criança a tiros, mas errou e usou um martelo para assassiná-la. Ele demonstrava desequilíbrio psicológico e afirmou que tomou essa iniciativa porque a menina estava sendo abusada sexualmente por um vizinho e se queixou a ele que não suportava a dor. Estevão disse que a menina pediu que ele a matasse. 
 
O suspeito ainda contou que costumava olhar as partes íntimas da criança e disse que se considera um pedófilo. Quanto à segunda criança que Estevão tentou matar, ele disse não lembrar de ter atirado nela. 
 
Estevão contou que ao entrar no carro com o material explosivo tinha a intenção de se matar. “Atrás do banco tinha uma garrafa de dois litros de gasolina. Eu ia jogar no meu corpo e tocar fogo, eu ia me incendiar e virar fumaça”, disse.
 
O ajudante de pedreiro Felipe Teles Menezes, pai da menina atingida por marteladas na cabeça, foi quem acionou a polícia. Ele contou que a filha passava na rua e o criminoso a chamou para dentro de casa. Momentos depois, um filho dele o chamou dizendo que Estevão estava tentando matar a criança.  As meninas foram levadas para o Hospital Estadual da Criança (HEC).  A que foi agredida com marteladas teve afundamento no crânio.  
 
Com informações e fotos do repórter  Aldo Matos do programa Acorda Cidade.
Fotos: Arquivo - Ney Silva/Acorda Cidade
Versão Clássica
Tacitus Tecnologia