Acorda Cidade - Versão Mobile

Polícia Civil

Polícia Civil recupera veículos roubados e desarticula quadrilha de assaltantes

 

Acorda Cidade
 
A Delegacia Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) desarticulou, no fim de semana, uma quadrilha especializada em roubos e adulteração de veículos, subtraídos em vários bairros de Salvador e, posteriormente, revendidos com documentos falsos em cidades do interior e em outros estados
 
Segundo o delegado Nilton Borba, titular da DRFRV, a operação que resultou na desarticulação da quadrilha, teve início dois meses pela equipe da DRFRV, com apoio do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP). A polícia apurou que os veículos subtraídos em Salvador eram levados para Feira de Santana e de seguiam para Muritiba. A quadrilha adulterava os sinais de identificação (chassi, vidros e motor), falsificava a documentação e os revendia.
 
Segundo ele, o bando preferia carros novos para facilitar a revenda e mantinha uma média de pelo menos dois carros adulterados por semana. Estima-se que a quadrilha tenha revendido pelo menos 80 veículos, em Sergipe, Piauí e cidade do interior baiano. “As investigações prosseguem, visando identificar os demais integrantes do bando e verificar o paradeiro dos veículos adulterados revendidos”, salientou Borba.
 
Veículos recuperados e prisões
 
Seis carros foram recuperados e três integrantes do bando presos. Um quarto integrante, o ex-PM Antônio Cláudio Santos Paixão, foi surpreendido na região do Terminal Rodoviário de Salvador, reagindo à prisão. Ele foi alvejado e morreu no confronto.
 
Genival Borges da Silva, Reinaldo Fonseca Cerqueira, o “Nal”, e Francisco Ribeiro dos Santos, “Francis ou França”, foram apresentados à imprensa, na tarde desta segunda-feira (9), no auditório do edifício-sede da Polícia Civil, na Piedade, pelo diretor do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), Cleandro Pimenta, pelo delegado titular da DRFRV, Nilton Borba, e pela delegada Pilly Dantas, diretora-adjunta do DCCP.  
 
Os policiais surpreenderam Genivaldo e Antônio Cláudio, na sexta-feira (6), num local de confecção de placas, próximo ao terminal rodoviário, onde buscavam a placa de um dos carros adulterados que seria revendido no estado do Piauí. As cédulas de documentos automotivos fraudados pelo bando eram oriundas daquele estado e a polícia investiga de que maneira foram desviadas.
 
“Nal” e “França” foram flagrados num sítio, na localidade de Tabuleiro da Baiana, em Muritiba, com os seis veículos roubados - dois Cross Fox, um Saveiro, um Strada, um Montana e um Siena - todos apresentando sinais de adulteração. Ali foram encontradas ainda ferramentas utilizadas para adulteração dos carros, a exemplo de lixadeiras, pinos numerados para demarcação de novos chassis, além de produtos químicos como ácido bórico.   
         
Mandados
 
O ex-policial Antônio Cláudio estava com dois mandados de prisão em aberto e respondia a oito inquéritos por envolvimento em crimes contra o patrimônio em várias delegacias da capital, entre as quais a DRFRV, DRFR e DTE. A polícia suspeita que, no momento da abordagem, ele se preparava para buscar placas falsas fabricadas para os veículos adulterados.
 
Antônio Cláudio foi expulso da Polícia Militar em 2008, após ser processado pelo assalto a Iguatemi Pneus, ocorrido em 2005. Genival, Reinaldo e Francisco foram autuados em flagrante por receptação e adulteração de sinal de veículo. Os dois últimos também vão responder por formação de quadrilha.
Acorda Cidade
 
A Delegacia Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) desarticulou, no fim de semana, uma quadrilha especializada em roubos e adulteração de veículos, subtraídos em vários bairros de Salvador e, posteriormente, revendidos com documentos falsos em cidades do interior e em outros estados
 
Segundo o delegado Nilton Borba, titular da DRFRV, a operação que resultou na desarticulação da quadrilha, teve início dois meses pela equipe da DRFRV, com apoio do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP). A polícia apurou que os veículos subtraídos em Salvador eram levados para Feira de Santana e de seguiam para Muritiba. A quadrilha adulterava os sinais de identificação (chassi, vidros e motor), falsificava a documentação e os revendia.
 
Segundo ele, o bando preferia carros novos para facilitar a revenda e mantinha uma média de pelo menos dois carros adulterados por semana. Estima-se que a quadrilha tenha revendido pelo menos 80 veículos, em Sergipe, Piauí e cidade do interior baiano. “As investigações prosseguem, visando identificar os demais integrantes do bando e verificar o paradeiro dos veículos adulterados revendidos”, salientou Borba.
 
Veículos recuperados e prisões
 
Seis carros foram recuperados e três integrantes do bando presos. Um quarto integrante, o ex-PM Antônio Cláudio Santos Paixão, foi surpreendido na região do Terminal Rodoviário de Salvador, reagindo à prisão. Ele foi alvejado e morreu no confronto.
 
Genival Borges da Silva, Reinaldo Fonseca Cerqueira, o “Nal”, e Francisco Ribeiro dos Santos, “Francis ou França”, foram apresentados à imprensa, na tarde desta segunda-feira (9), no auditório do edifício-sede da Polícia Civil, na Piedade, pelo diretor do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), Cleandro Pimenta, pelo delegado titular da DRFRV, Nilton Borba, e pela delegada Pilly Dantas, diretora-adjunta do DCCP.  
 
Os policiais surpreenderam Genivaldo e Antônio Cláudio, na sexta-feira (6), num local de confecção de placas, próximo ao terminal rodoviário, onde buscavam a placa de um dos carros adulterados que seria revendido no estado do Piauí. As cédulas de documentos automotivos fraudados pelo bando eram oriundas daquele estado e a polícia investiga de que maneira foram desviadas.
 
“Nal” e “França” foram flagrados num sítio, na localidade de Tabuleiro da Baiana, em Muritiba, com os seis veículos roubados - dois Cross Fox, um Saveiro, um Strada, um Montana e um Siena - todos apresentando sinais de adulteração. Ali foram encontradas ainda ferramentas utilizadas para adulteração dos carros, a exemplo de lixadeiras, pinos numerados para demarcação de novos chassis, além de produtos químicos como ácido bórico.   
         
Mandados
 
O ex-policial Antônio Cláudio estava com dois mandados de prisão em aberto e respondia a oito inquéritos por envolvimento em crimes contra o patrimônio em várias delegacias da capital, entre as quais a DRFRV, DRFR e DTE. A polícia suspeita que, no momento da abordagem, ele se preparava para buscar placas falsas fabricadas para os veículos já adulterados.
 
Antônio Cláudio foi expulso da Polícia Militar em 2008, após ser processado pelo assalto a Iguatemi Pneus, ocorrido em 2005. Genival, Reinaldo e Francisco foram autuados em flagrante por receptação e adulteração de sinal de veículo. Os dois últimos também vão responder por formação de quadrilha. As informações são da Polícia Civil.
Versão Clássica