Acorda Cidade - Versão Mobile

Trabalhadores rurais debatem sobre a criação da Região Metropolitana

Para a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Feira de Santana, a criação da Região Metropolitana não trouxe avanços para o trabalhador do campo
26/07/2011 12h32
Ed Santos/Acorda Cidade

Daniela Cardoso

Na manhã de segunda-feira, (25) foi realizada uma missa na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais em Feira de Santana. Pela tarde foi realizado um debate sobre a região metropolitana do município. Estiveram presentes no evento o Deputado Estadual neto, o ex deputado Colbert Martins Filho, o reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) José Carlos, além de membros da sociedade.

Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Feira de Santana, Conceição Borges, o objetivo do debate foi conhecer o que está sendo criado com a região metropolitana e quais os impactos positivos e negativos para a zona rural. “queremos saber se nessa criação tem alguma coisa pensada para o desenvolvimento do campo”, disse.

De acordo com Conceição, a zona rural não está inclusa em nenhum projeto de desenvolvimento, e por isso muitas pessoas deixam o campo para morar na cidade. “As pessoas não querem mais continuar vivendo na zona rural porque não existem projetos para modernizar a agricultura.”

Conceição Borges afirmou que não houve novidades durante a reunião e por isso, pediu ao Deputado Estadual Neto (PT), que convoque uma audiência com o Ministro do Desenvolvimento Agrário. Além de demandar da Universidade Estadual de Feira de Santana, apoio para projetos de desenvolvimento da agricultura.

“Marcamos uma reunião no dia 2 de agosto com a reitoria da UEFS, que tem especialistas que podem ir a campo para tentar fazer uma proposta de desenvolvimento agrário e entregar para o ministro”, afirmou.

O ex deputado Colbert Martins Filho, disse que o debate foi amplo e que houve novidades boas para o trabalhador do campo. “Eu fiz provocações para que Feira de Santana tenha um programa de irrigação, pois não para ficar dependo apenas da chuva.”

Ele ainda disse que muitos ajustes precisam ser feitos para que a Região Metropolitana de Feira de Santana, realmente funcione. “Precisa ter uma agência de desenvolvimento e o fundo. As prefeituras da região e a de Feira vão administrar esse fundo com a participação do estado.”

O deputado estadual Neto, afirmou que Feira de Santana tem uma zona rural que representa uma boa porcentagem da população, por isso será avaliada o destino da Região Metropolitana pensando também na zona rural.
 
“Nós ficamos de trazer o Ministério do Desenvolvimento Agrário para que ele passe um dia com os técnicos, orientando e passando as políticas nacionais que estão sendo aplicadas para o trabalhador rural.”

O deputado assegurou aos trabalhadores rurais que a Região Metropolitana não ofenderá em nada os agricultores. “Região metropolitana vem de metrópole, mas isso não impede que nessas regiões exista a zona rural.” As informações são do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.

Whatsapp
Google+

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.